Palestras: Redes, Poder e Liberdade na Sociedade da Informação

Com o objetivo de refletir e debater sobre o processo de transformação social, o ciclo de palestras “Redes, Poder e Liberdade na Sociedade da Informação” tem a finalidade de discutir criticamente as novas relações de poder que se estabelecem pelo uso das redes digitais de comunicação e informação, assim como as novas relações entre Estado e sociedade civil pelo uso da internet, as ações políticas online (ciberativismo), práticas de colaboração, cultura hacker e os modelos de vigilância e modulação.

Mais informações no site

Anúncios
Publicado em Material extra | Deixe um comentário

Apresentação: Raiz e Podemos no Twitter por Gildemberg Souza

No encontro de hoje (18/10) tivemos a apresentação do Gildemberg com análises sobre os perfis da Raiz e do Podemos.

Apresentação_Gildemberg

Manual de como operar a ferramenta Netlytic:
Como monitorar mídias sociais com a Netlytic

 

Publicado em Material extra | Deixe um comentário

Material para o segundo encontro – Módulo III

1. Entrevista com Eduardo Fernandez, coordenador de redes sociais do Podemos
2. Estudo sobre campanha política do Podemos no Facebook em 2014
Publicado em Material extra | Deixe um comentário

Retorno do curso de extensão – Módulo III

Caras e Caros,

Nosso curso retorna na terça-feira, dia 27/09.

Cronograma:

27/9 – Propaganda política e cultura pop na internet

11/10 – A nova esquerda no Facebook

18/10 – Redes cidadanistas no Twitter

8/11 – Política audiovisual: Podemos e Raiz no Youtube

22/11 – Debate, deliberação e organização no Loomio

Encontros:

Horário: 14 horas
Local: A2 - S307
UFABC - Campus de São Bernardo

Atenciosamente.
Publicado em Datas | Deixe um comentário

IGLESIAS, P. “Entendendo o Podemos”

Pablo Iglesias introduz o texto contextualizando a situação da esquerda na Espanha no ano de 2015, a centro esquerda perde eleitores para a direita e esquerda, em sua maioria para partidos “anti-establishment” como o partido grego Syria e o  movimento italiano das Cinco Estrelas.

Ele argumenta que, diferente do movimento italiano, o Podemos se baseia em um conjunto de protestos de massa (Indignados de Maio de 2011 e ações diretas contra despejos e cortes em 2012 e 2013). Além disso, os principais intelectuais do partido espanhol são mais novos e oriundos de estudos Negrianos e de contra-globalismo.

Na texto-entrevista, Iglesias garante grande importância à TV, meio como ele conseguiu ser tão conhecido em pouco tempo, onde o Podemos refinava suas habilidades de articulação e apresentação. Ele critica a intervenção na política institucional viciada espanhola e argumenta que a crise de 2008 mostrou limites do PSOE, o qual se tornou parecido com o PP.

Iglesias se pergunta como se seria possível criar uma solução de articulação para as consequências dessa crise baseando-se na esquerda tradicional. Não poderia ser a esquerda do século XX, e diminui sua importância citando a obra de Hobsbawm “A era dos extremos”. Ele apresenta o paradigma da esquerda órfã da Europa e ainda diz que surgiria uma alternativa interessante na América Latina na visão do Podemos.

O autor discorre sobre a devastação da crise em países como Itália, Irlanda, Grécia e Espanha, constando que a última está sendo obrigada a “encerrar direitos sociais históricos através das políticas de austeridade que a Alemanha e seus aliados nunca imporiam em suas casas”.

Mais adiante no texto, Pablo Iglesias comenta a ascensão do movimento 15M, o qual por meio da mobilização e ativismo consciente apontou um caminho antes ignorado pela esquerda tradicional, e ainda deu indícios de que o modelo bipartidário espanhol estaria ruindo.

Iglesias explica que o Podemos foi desenhado a partir de reflexões de seus membros sobre o 15M e buscava construir propostas populares. A primeira estratégia seria buscar grupos de esquerda que não eram do PSOE – em diversas regiões da Espanha – mas ninguém aceitou a proposta do Podemos.

Depois de vários estudos perceberam que precisavam ir para a média mainstream, para meios de comunicação mais fortes, pois já estavam na internet, mas surtia pouco efeito. O meio escolhido foi a TV, em especial mesas de debate, Iglesias se propunha a ir em programas (e aceitavam-no fácil pois era esquerda radical).

Ele comenta que há certa verticalização no partido, deveriam ser capazes de treinar lideranças estratégicas dentro do grupo – certos tópicos estão disponíveis para debate do público em geral e outros tópicos reservados à deliberação das lideranças.

Iglesias finaliza o texto explicando como o Podemos apresenta uma ameaça para os antigos partidos, com seu potencial de desestabilizar o cenário político espanhol e ainda governar com o suporte de outros partidos. O Podemos deveria, de acordo com seu líder: “ir para a eleição geral como a maior esperança de redefinição do campo político na Espanha.”

Publicado em Bibliografia | Deixe um comentário

Último encontro do módulo – 10/08

Caras e Caros,

Teremos nosso último encontro no dia 10/08 (quarta-feira) e encerraremos esse módulo com o evento “Raiz, #partidA, Podemos e Brigadas Populares: novos partidos, movimentos e partidos-movimentos na Sociedade da Informação

13662416_1341059125906119_1312480625_o
Publicado em Datas, Material extra | Deixe um comentário

Ubuntu, Teko Porã e Ecossocialismo: a hipótese da Raiz Movimento Cidadanista

Caras e caros,

No próximo encontro teremos uma apresentação sobre a Raiz.

Apresentador: Thiago Desensi (Me. em Ciências Humanas e Sociais pela UFABC e integrante da Raiz)
Data: 02/08 – 14h
Prédio A1 – Sala 206
Carta Cidadanista – Arquivo
Publicado em Material extra, Programa | Deixe um comentário